um bolo por vez: pink degradê

23 de nov de 2017
 
Eu sempre me orgulhei de ser uma boa cozinheira, de ter versatilidade e saber criar coisas deliciosas na cozinha. Porém sempre tive dificuldades com a parte da confeitaria e especificamente bolos sempre foram um grande desafio para mim. Quando não ficavam tortos, ficavam secos, muito doces, nada equilibrados. Sou apaixonada por bolos leves, molhadinhos e bem estruturados e decidi que iria me dedicar a aprender esse ofício, como uma grande desafio mesmo, uma aprendizagem de cada vez.

E foi assim que decidi criar esse desafio de um bolo por vez. A ideia é propor um desafio, onde eu devo ir aprimorando os bolos através de vários testes e receitas e ir registrando meu progresso e percepções, como se fosse um diário mesmo. Essa foi uma ideia inspirada no filme Julie & Julia, porque acho genial a ideia de ter algo desafiador para te motivar a aprender algo que você gosta.


Para começar, esse primeiro bolo que foi fruto do meu desejo enorme em comer bicho de pé. 


A ideia era criar um bolo simples de baunilha com recheio duplo e cobertura de bicho de pé. É um bolo que eu já fiz várias vezes desde muito nova, mas que nunca tinha tentado com recheio duplo.  A técnica de cortar o bolo no meio e rechear é algo que ainda estou aprimorando, como vocês podem ver pelas fotos, uma camada ficou muito próxima da outra e isso é algo que preciso trabalhar em futuras receitas.

Por dentro o bolo ficou molhadinho, mas doce demais. A ideia de usar uma mistura de leite com leite condensando deixou o bolo um pouco enjoativo, coisa que devo evitar. De resto, ele ficou super macio e leve, com um efeito delicioso de crocante por fora, fruto da casquinha de bicho de pé com confeitos brancos. Alias, no que tange a esse ponto, é importante registrar que o efeito degradê foi um erro mais que feliz. Como o bicho de pé não ficou tão firme quanto eu esperava, comecei a apertar com as mãos a parte de baixo do bolo para firmar as laterais. Isso meio que fez com que os confeitos penetrassem na camada rosa e fossem ficando mais claros nas partes de baixo. Quando percebi, já estava lindo demais e eu fiquei tipo: nossa! 👀


É importante ressaltar que usei gelatina para fazer o bicho de pé e para deixar essa combinação mais clara, é só dosar a quantidade de gelatina. Para mim não é o ideal porque não gosto muito dos corantes artificiais que ela possui. Mas como a ideia era começar simples, decidi não complicar muito. E é isso, essa foi a minha primeira tentativa oficial de fazer um bolo estruturado e bonitinho. O próximo desafio será fazer um bolo natalino com glacê e frutas vermelhas e para isso já estou estudando algumas referências e ideias para o processo! 💗

Assim que finalizar volto para deixar registrado mais um passo desse desafio maluco da minha jornada confeiteira.

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.