29 de maio de 2017


Quando você perde a esperança na vida, se torna difícil continuar respirando.

Nos últimos meses, tenho me deparado com essa máxima. Acho que cheguei no fundo do poço e tive a compreensão que ou eu emergia das profundezas as quais havia me instalado, ou iria cada vez mais ficar soterrada nesse poço de negatividade no qual eu havia me enfiado. Alguns fatos estranhos ocorreram para que eu tivesse essa percepção, tais como notar que a energia ao meu redor andava tão baixa, que até as plantas começaram a morrer ao meu redor. As terríveis coincidências do tipo coisas começarem a quebrar do nada. E a atração... Aquela estranha sensação que eu estava rodeada de bad vibes. Pequenos sinais da vida, para que eu pudesse enfim despertar desse coma.

Sabem, sei que é uma coisa horrível de escrever, mas acreditem é pior ainda sentir. Preciso assumir para eu mesma que está mais do que na hora de um detox. Renovar as energias, o meu foco. Nos últimos meses eu realmente mergulhei em um poço profundo. Coisas tristes aconteceram para que eu me desequilibrasse tanto, mas há tempos que eu vejo a necessidade de desapegar delas. De partir, seguir em frente e acreditar que o que está feito, é passado, não muda. Somente assim posso continuar caminhando e principalmente, só quando me livrar desse peso que hoje carrego é que conseguirei finalmente emergir para a superfície. Voltar a ver a vida com a normalidade banal do cotidiano. Coisa da qual sinto uma falta profunda.

Para quem gosta de astrologia, posso dizer que coexistem em mim 2 arquétipos poderosos. A energia de leão e a energia escorpiana. Enquanto metade de mim gostaria de estar vibrando na criatividade leonina, a outra metade prefere navegar nos submundos de escorpião. Não quero aqui reforçar a ideia que esse signo é cheio das perversidades, mas é um fato notável para quem tem essa energia no mapa, que é muito fácil se desequilibrar nela. Se jogar no mar das emoções até nos perdemos completamente de nós mesmos. Morrer mil vezes para renascer mais forte. É algo deveras interessante, até o dia que você mergulha e não consegue mais subir para a superfície. Aí meus amigos, é que a tormenta se instaura. Porque quando você fica apenas conectado nessa frequência, não há psiquismo que suporte. Daí você clama, chora e implora por um pouco de fogo na sua alma. Um pouco de fé sagitariana, ou pouco de brilho leonino e um pouco de ímpeto ariano. Qualquer coisa que faça evaporar dentro de você essa avalanche de água. Q U A L Q U E R coisa.

E é isso que estou buscando. Sei que perdi um pouco do meu brilho pessoal, daquela alegria genuína que há tanto havia cultivado. A ideia de um excesso de água é bastante auto-explicativa. É como se eu estivesse afogando. Nas minhas próprias lágrimas. E foi por isso que decidi escrever isso hoje. Porque a tomada de consciência é o primeiro passo. O segundo, meus amigos, é buscar me cercar de coisas e pessoas prazerosas. Como um bebê que está aprendendo a andar, voltar a dar meus primeiros passos rumo a uma vida mais leve.

E por fim, me despeço com essa canção que eu tanto amo. Que diz tanto sobre mim que poderia apenas posta-la que ela já diria tudo. Estou aprendendo a respirar. Um fôlego de cada vez.



28 de maio de 2017


Nem que seja um pequeno detalhe no sapato gótico trevoso.



17 de maio de 2017


Eu sou meio a louca das estações. Então mudou a estação, eu estou mudando o armário, a decoração da casa e também minhas escolhas de cosméticos. Nesse outono, tive a oportunidade de provar a linha de baunilha e canela da Korres, e gente... que delícia!

O perfume é forte e tem uma duração mediana, cerca de 12 à 15h. O cheiro é bastante doce, e o sabonete de canela tem um leve tom amadeirado. Eu gostei por ser uma fragrância acolhedora, que dá uma sensação de aquecimento, perfeita para esse clima um pouco mais frio e seco. 

Conheci a marca através do blog da Grazi e já me tornei super fã! Depois da The body shop, com certeza é a minha descoberta favorita do mundo da beleza ♥ ♥ 



2 de maio de 2017

Depois de mostrar a décor especial que montamos na páscoa, decidi compartilhar algumas poucas palavras sobre como foi o nosso feriado. A verdade é que não fizemos nada demais. Celebramos ao longo da semana, com receitas, bombons e uma vibe boa de gratidão. No domingo, ficamos em paz. Decidimos fazer algo que nunca havíamos tentado: fazer juntos nosso próprio chocolate. Para fugir dos preços abusivos do mercado e também porque estamos encarando esse ano como um processo de trabalharmos nossas afinidades e parceria, achamos que seria legal a iniciativa. E no fim deu super certo.

Fizemos ovos de marshmallow. Eu particularmente amo e o bruno topou embarcar na aventura de tentar fazer pela 1ª vez essa receita sozinhos. Foi super divertido, fizemos muita bagunça e no fim, nos acabamos no chocolate assistindo a última temporada de the walking dead. Foi um dia leve, cheio de bons momentos para recordar, exatamente como deve ser. Uma doce e deliciosa páscoa 




Jess, 25 anos vivendo em São Paulo, Brasil. Nesse blog compartilho registros visuais cotidianos como forma de eternizar momentos. acredito em um estilo de vida orgânico e autoral e estou sempre absorvendo + do mundo ao meu redor.

Follow

_____________________
s3s2 s4 s4